Trecos e truques na caixa de Pandora











{20/08/2008}   Olímpiadas?

Nos últimos dias, o mundo está com os olhos todos voltados para as Olimpíadas de Pequim.
Particularmente, não estou assistindo os jogos em protesto a essa politicagem econômica em que se converteram os jogos olímpicos. Além disso, a maneira como a China conduz a sua ‘política’ de escravização de pessoas para criar uma indústria que está exportando para vários locais do mundo materiais baratos e de baixa qualidade faz a gente pensar no por quê o país foi eleito para sediar os jogos.
Sinto muito por cada atleta que dedica sua vida ao esporte, ao seu país… para mim todos deveriam ganhar medalhas. Principalmente, aqueles que vivem em países pobres, como o Brasil que diz que está em desenvolvimento, mas é só olhar para o preço do salário mínimo e para o aumento de produtos como o feijão que a gente percebe que tem alguma coisa errada nesta afirmação. Além de tudo isso, se este é um país em que não se investe em Educação, quem dirá no esporte, nas Artes…
Bem, mas voltando ao assunto, dois jornalistas japoneses que cobriam o atentado que matou 16 oliciais na região muçulmana de Xinjiang, noroeste da China, foram seqüestrados e agredidos por policiais. Bem, foi ridículo ver a imprensa falando que foi tudo por causa “da antiga rivalidade entre Japão e China”…
A desumanização ao qual o mundo está subordinado por causa do dinheiro fez a imprensa se calar. Onde está a liberdade de imprensa que eles tanto prezam?
Achei ótimo a seleção brasileira perdeu o jogo para a Argentina. Tanta merda acontecendo neste país, as eleições para ocorrer e o povo preocupado com jogo de bola… Não, chega de Panis et Circensis, aliás, já não há nem panis… rsrsrs (Disculpem, pela crueldade!)

Rspeito aos atletas que ali estão, mas abomino a atitude politiqueira, imunda e tendenciosa de uma imprensa vendida, submissa que poderia aproveitar a ocasião e divulgar os problemas daquele país. SSem dúvida, a China tem uma cultura milenar esplêndida que deve ser respeitada e preservada. Mas não podemos fechar os olhos para os grandes problemas que a população de lá enfrenta.

Quanto à organização, esta não prezou, na minha opinião, pelo verdadeiro espírito dos Jogos Olímpicos e sim pelo verdadeiro manancial que é uma economia forte e um bolso cheio.

EU boicoto e não vou assistir às Olimpíadas!

PS: A charge foi retirada de um blog de língua espanhola que, no momento, não consigo localizar e informações sobre os repórteres japoneses foram baseadas em http://www.correiodabahia.com.br/exterior/noticia.asp?codigo=158410

Anúncios


{18/08/2008}   Legião Urbana

Me recordo que, quando eu era criança, cantarolava do refrão de uma música, mas não sabia bem qual era a banda que a cantava. É bom esclarecer que não havia computadores e nem Google à disposição pra gente vasculhar a Internet e descubrir as coisas nessa época.

Algum tempo depois, um ex-namorado me emprestou uma fita cassete original (aquilo sim era artigo de luxo naquela época!) da banda que mudaria a minha vida. O título do trabalho deles era “As quatro estações”… E assim foi que aconteceu a minha imersão no mundo da Legião Urbana…

Em pouco tempo, eu já conhecia de cor e salteado as principais canções da banda…fazia faxina ouvindo “Faroeste Caboclo”, estudava ouvindo “Eu sei” e quando tinha algum problema ouvia “Pais e Filhos”, “Teatro dos Vampiros” etc.

Durante a adolêscencia, li alguns livros sobre o Renato Russo e, em pouco tempo, me converti em fã incondicional deste grupo… Embora, já faça algum tempo, eu ainda tenho a sensação de que o vocalista da banda conseguia exprimir através de suas letras sentimentos que nós, muitas vezes, não conseguimos traduzir em palavras…

Minha mãe, coitada, foi obrigada a ouvir milhões de vezes as mesmas músicas… mas me sorpreendi muito o dia que a vi cantarolando uma canção da banda…

Uma triste recordação é o dia em que foi anunciada a morte do Renato Russo… ainda me recordo perfeitamente da sensação de tristeza que me assolou.

Como o grande artista que ele era, tinha um prisma singular sob o qual enxergaqva a vida. Além disso, ele tinha o dom de inserir em suas músicas passagens e teorias do que lia de uma forma acesssível para todos. Num país como o Brasil onde poucos têm acesso à cultura seja por falta de grana seja por falta de interesse, esse cara teve uma sensibilidade para sintetizar e comunicar um pouco do que aprendeu.

Infelizmente, quando o Renato Russo foi embora, eu ainda era adolescente, mas já planejava ir a uma apresentação deles.Acho que se o tempo pudesse voltar a trás, meu pedido seria assistir a um show da Legião Urbana.

Pouco antes da morte do líder da Legião, meu pai havia comprado para mim uma fita pirata do último trabalho da banda: “A Tempestade”. Na época, eu e ele éramos muito parecidos mas brigávamos porque pensávamos que éramos diferentes…ledo engano… Hoje, quando olho para trás é que vejo o que estava por trás daquele gesto. A parte boa é que hoje temos uma relação de iguais: eu o amo e ele me ama e isso basta!

Admiro ele por aquilo que ele é… e isso para mim é importante. Daí, vem á tona a eterna música “Pais e Filhos” que por tanto tempo ecoou na minha mente e embalou a minha vida…

Já se passaram alguns anos e eu continuo gostando cada vez mais das músicas da Legião e vejo que por mais que as coisas passem, aquilo que a gente acha importante continua.

Imagino o orgulho e a satisfação de quem pode assistir um show da banda ao vivo…Urbana Legio Omnia Vincit…

“Quédate ante la puerta si quieres que te la abran. No dejes el camino si quieres que te guíen. Nada está nunca cerrado sino a tus propios ojos.”

“El arte es la mentira que nos permite comprender la verdad.” Pablo Picasso



Pelo que vejo, a sessão nostalgia dá muito certo… falar de congas, melissas, kichutes e havaianas faz com que muito marmanjo lembre da “sua infância querida, que os tempos não trazem mais”. Nasci no começo da década de 80 (ok, isso significa que vc devem sugerir a minha idade, mas não vou revelá-la 😛 ). Embora eu fosse criança, acho que foi uma década mágica: anos em que surgiram grandes bandas de rock, a moda ousava cores berrantes, cabelos coloridos e muitos, mas muitos mesmo, acessórios!!!Também foi uma década que marcou o fim da ditadura e o início da democracia. Não farei críticas à politica brasileira neste momento… se não este post seria um pouco extenso! Bom, falemos da música da década de 80: tínhamos bandas infantis como Balão Mágico que encantavam a criançada. Isso sem dizer dos inumeráveis programas de TV voltados realmente para as crianças. Certa vez fui a uma festa onde só tocavam hits dos anos 80. Era uma festa super bacana, mas quando tocou as músicas do Balão Mágico a galera enlouqueceu e começou a cantar num coro só “Sou feliz, por isso estou aqui, também quero viajar nesse balãããããão…. Super Fantástico, o Bação Mágico o mundo fica bem mais divertido…”. E depois a única coisa que se via era o sorriso na cara de um bando de gente grande que lembrava com saudade da infância… Sei que este post pode parecer inocente, mas na verdade não é não! É normal a gente sentir saudade da infância principalmente quando ela teve tantas coisas diferentes. A exemplo do revival da moda, deveria ter um revival de grupos infantis que pudessem mostrar para essa garotada um lado mais alegre da vida. Não sou contra o tipo de infãncia que se tem hj, mas temos que convir que é muito diferente das crianças dos anos 80 e 90. Também não sou presunçosa a ponto de afirmar que a minha infância era melhor… são momentos diferentes na história. Só isso! Quem não se lembra dos shows do Cazuza, da febre RPM e do Menudo. Minha irmã tinha pulseiras, broche, discos, camisas, brincos…. tudo do Menudo…hahahaha Sei que muita gente deve ter curtido essa galera e muitas outras Sei que a tecnologia é excelente, contudo acredito que temos que dar lugar para o humano que vive em nós, afinal as grandes belezas produzidas pela arte e pela vida só podem ser captadas e sintetizadas pelos sentidos quando temos a sensibilidade para percebê-las. E acho que os anos 80 foram um período emblemático na vida de muita gente… Isso sem falar nos inúmeros desenhos animados que povoaram a tela de muitas TVs antigas, mas isso já é outra história….

TO BE CONTINUED…



Qual é a mulher que está na faixa dos 25 aos 36 anos que não se lembram das famosas Melissinhas . Sim, elas foram sucesso na década de 80 e 90. Na minha infância eu tive uma melissinha vermelha.. Aí que tchucks….

Porém, chegou uma época que a grana lá de casa tava curta (mas curta mesmo) e eu usei conga azul… Como eu odiava aquele tênis… Agota, o tênis preferido dos meninos era o Kichute que segundo as mães da época duuuuurrravvva muito

Eram sapatos extremamente baratos e considerados feios para a época… mas como o marketing convence a todos, hoje esse modelito vintage é sinônimo de gente cult. Sim gente, é possível encontrar dezenas de pezinhos desfilando com esses sapatinhos.

Pois é, quem diria que as melissas, os congas e até mesmo as havainas (pasmem! As HAVAIANAS) virariam artigo de luxo….

Lembro-me da propaganda da Rider que dizia: “use Rider e dê férias para seus pés”. Por outro lado, as havaianas eram baratas e consideradas feias. Hoje a coisa mudou e muito.

Veja bem, tinha uma chefe que é super gente boa e que eu adoro. Uma dessas mulheres elegantes e com classe que usam salto de oncinha e vivem impregnadas de jóias. Pois é, ela viajou para a Europa e quando nos trouxe as fotos em várias ela calçava

Havaianas. Quando questionada, ela respondeu que lá é moda usar as sandálias de borracha 100% brasileiras.

Bom, de minha parte eu adoro as Havaianas porque eslas são muito confortáveis. Também gosto muito das Melissas e agora quero comprar uma vermelhas de camurça (que luxo! rsrsrsrs), mas continuo achando os congas horríveis. Bem, gosto alheio não se discute…



et cetera